11 de novembro de 2015

Blog retornando...


Após algumas interrupções decorrentes das provas de fortificados e business do Diploma da WSET, retomo com prazer minha atividade de blogger. 
Além disso, feliz com o Restaurante MoDi, onde presto consultoria, pois ganhamos o prêmio de melhor carta de vinhos pela Edição 2015/2016 da Veja Comer e Beber-SP.

E nada melhor do que compartilhar algumas sugestões de vinhos para tempos de crise...ou seja, para poder passar bem o fim do ano, sem sangrar a carteira!

As indicações abaixo são provenientes de várias degustações, onde fiquei muito atento à relação custo-benefício:

Categoria: "brancos para o verão":

Trapiche Broquel Torrontés 2012, 14% álcool: Muito aromático (tangerina, rosa branca), e com boa acidez agraciada pela altitude em que a Torrontés é cultivada (1750 metros, Salta, Argentina). Não se assuste com o teor alcoólico, pois ele não aparece e o vinho é bastante refrescante. Para beber já! R$95,00 na Interfood










 Calanica Insolia Chardonnay 2014, 12% Álcool: do mesmo grupo (Duca di Salaparuta, Sicília, Itália) que faz o famoso vinho Corvo, (e será objetivo de um próximo post, pois a qualidade mudou MUITO) este branco surpreende. Passa 4-5 meses "sur lie", ou em contato com as leveduras, onde adquire complexidade aromática além das notas de fruta (maçã) R$89,90, na Interfood








JPR Loureiro 2014, 12% Álcool: por inacreditáveis R$47,00 você adquire esse vinho na Casa Flora. Conversando com minha competente amiga Cristina Neves, cunhei uma frase: "em tempos de crise, se não der para beber Alvarinho, vamos de Loureiro" (lembrando que os mais famosos - e caros - vinhos verdes são feitos com a varietal Alvarinho no Minho, norte de Portugal). De quebra você leva 15% de Alvarinho nesse vinho, onde se destacam as notas cítricas, podendo ser servido como aperitivo, ou escoltando uma salada.





Apresentado pelo proprietário da vinícola Sr Jose Luis Muguiro, o Rueda 2014, 12,5% Álcool é fruto do pioneirismo da famosa bodega espanhola Marqués de Riscal na D.O. Rueda. Bem clarinho, com aromas que remetem a maracujá, é bastante refrescante na boca, sem perder o caráter da varietal. Como os seus grandes tintos Reserva e Gran Reserva, este vinho é extremamente bem feito, utilizando a variedade Verdejo e uma pequena porção de Viura. Custa R$ 80,90 na Interfood. Ao lado, Sr. Muguiro com o ícone Gran Reserva 2005 - um tinto sensacional; para os corajosos, vale cada centavo dos R$ 299,90 pagos.


The Apple Doesn't Fall From The Tree Torrontés 2014, 13% Álcool (winebrands) Vistalba, Argentina: além do original e elaborado trabalho de rótulo, este vinho é um dos meus favoritos para acompanhar mexilhões com vinagrete, prato totalmente verão. A uva Torrontés pode gerar um vinho extremamente aromático e enjoativo quando mal trabalhado, caso que definitivamente não acontece aqui. Matias Riccitelli é extremamente cuidadoso, desde a colheita (totalmente manual) até o processo de vinificação com leveduras selecionadas, contato com as peles por 8 horas e rigoroso controle da temperatura de fermentação em tanque de aço. Aromas florais (lichia, rosas) e acidez excepcional definem este vinho. Em torno de R$ 95,00 na importadora.



Rocca delle Macìe Moonlite 2013 13% Álcool: este corte de Chardonnay, Vermentino, Pinot Grigio e Trebbiano entrega um toscano branco moderno e super aromático, porém delicado, com notas florais e cítricas, bastante versátil e com aptidão para os frutos do mar e massas leves . Ideal? Orzotto de frutos do mar! R$ 99,00 na Decanter










Categoria: "Não vivo sem um tinto mesmo no verão":


Georges Doboeuf Fleurie 2011, 13% Álcool; feito com a uva Gamay, interessante opção para muitos beaujolais diluídos. Georges Doboeuf é um dos reis deste "Cru" de Beaujolais na França, e o fruto do trabalho neste vinho de R$130,00 (Interfood) é uma nota de framboesa intensa, sem ser agressiva, seguida por um floral delicado.








Altano Tinto 2012, 13,5% Álcool: proveniente do clima quente do Douro, seu teor alcoólico não sobressai, e o conjunto composto pelo blend de Touriga Nacional, Tinta Barroca e Tinta Roriz é bastante elegante, onde predominam as frutas vermelhas no aroma. Com a paleta de cordeiro do MoDi ficou divino. R$ 86,90 no site da Mistral.









Categoria : "alternativas para o Champagne no fim do ano":

Salton Paradoxo Brut 11,5% Álcool: Corte corajoso (Viognier, Alvarinho, Sauvignon Blanc e Malvasia) e muito bem executado pelo enólogo Gregorio Salton, uma explosão de frutas cítricas e flores na boca. Excelente como um welcome-drink ou aperitivo. R$196,00 por 6 garrafas no site da Salton, o que dá R$ 32,00 por garrafa!!!Brasil-sil- sil!!



Pizzato Brut: aromas de marmelo, abacaxi e caju harmonizam super bem com o conjunto refrescante e de excelente corpo. Por incríveis R$ 67,00 você faz a festa! Direto na Pizzato tel (054) 3055 0040; dá -lhe Brasil!











Salentein Cuvée Speciale 2014; espumante rosé dos hermanos de raça, extremamente bem trabalhado, de coloração bem delicada, com aromas de frutas vermelhas frescas (cerejas, morangos, framboesas) e leveduras, excelente acidez e encorpado. muito gastronômico e altamente recomendável; trazido recentemente pela Zahil, por R$ 74,00.



Bom, espero que as dicas ajudem!Grande abraço e em breve mais novidades!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário