1 de novembro de 2014

Sabores da Mantiqueira


Tá estressado? Vai viajar!! E para onde? Minha dica é São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos, no Vale da Paraíba.

E se você quiser ficar num lugar que alia bom gosto a conforto, sofisticação a simplicidade, gastronomia excepcional a simpatia dos proprietários, tudo isso tendo uma paisagem deslumbrante como pano de fundo e (obviamente) excelentes vinhos, esse lugar chama-se Teto do Cafundó.

Localizado a 8 km do centro de São Francisco Xavier, encravado no alto da montanha e com apenas 5 chalés disponíveis para casais, a pousada é capitaneada pelo casal Renato Nivoloni e Tatiana Gonçalves, a Tati. Responsável pela cozinha da pousada, Renato prepara receitas que são puro esmero, inclusive o café da manhã em várias etapas. Sua esposa Tati é de uma gentileza sem par; atenciosa, explica em detalhes, com toda paciência e tempo do mundo as atrações, lojinhas e caminhos da região.

Café da manhã: cores e sabores




Visual do restaurante...

Uma das "Experiências Cafundó" (altamente recomendada) é o Pacote Gourmet; contempla dois jantares em vários passos, sendo o primeiro na pousada, onde Renato desfila suas criações acompanhadas de vinhos cuidadosamente selecionados. O segundo jantar ocorre no Restaurante Yoshi, localizado na cidade, quando o Chef Thompson Lee (professor de várias universidades de gastronomia) traz à mesa o melhor da culinária asiática.

Domaine de Liboreau:
Uma boa surpresa...
No jantar especial da Pousada, Renato abriu os trabalhos com um criativo medalhão de mandioquinha recheado de nozes e roquefort. Para escoltá-lo, um Cava Cristalino Brut, com ótima acidez, contrabalançando a untuosidade do prato. Na sequência, o peixe emblemático da região: truta em crosta de castanha do Pará com molho de queijo de cabra. Bastante delicado, o peixe criou a base perfeita para o saboroso molho. E que vinho melhor para combinar com um queijo de cabra do que um belo Sauvignon Blanc? Se for pouco conhecido então... a surpresa pode ser grande... Exatamente o que ocorreu com este Domaine de Liboreau, da região de Charentes, trazido pela importadora Decanter. O Lombo de cordeiro ao molho trufado guarnecido de purê de batatas veio acompanhado pelo moderno Pago de Cirsus Oak Aged Navarra, um corte de Tempranillo, Merlot e Syrah. Macio, encorpado e cheio de especiarias, combinou perfeitamente com o cordeiro.
Fechando a noite, um velho conhecido: Château Ramon, vinho doce de Montbazillac, região próxima à Bordeaux, conhecida por seus vinhos botritizados de bom custo benefício. Para harmonizar, Renato serviu uma sopa morna de frutas vermelhas com sorvete de creme e crocante de castanhas - simplesmente divino!








Pela manhã, a dica é dormir um pouco mais, tomar o café da manhã (se é que podemos chamar de café uma refeição que substituiria facilmente o almoço) e conhecer pequena São Francisco Xavier e arredores através das dicas preciosas da Tati. Interessante você estar na rua principal da cidade, em frente a uma praça com coreto e olhar para as quatro direções: no seu horizonte, montanhas para todos os lados... como é bom sair da "Selva de Pedra"!

a "encravada" nas montanhas São Francisco Xavier


À noite, no Restaurante Yoshi, chega a vez do sotaque chinês, japonês e vietnamita. Thompson Lee, chef de formação nova-iorquina (Culinary Institute of America), com passagem pelo Restaurante Mestiço (São Paulo), é filho de pais chineses e consegue, com raro vigor, desenvolver receitas ancestrais, bem como as originárias do país de sua esposa, a simpática japonesa Geisa. O toque familiar, com a presença do filho pequeno no restaurante, brincando com as simpáticas carpas do lago que compõe a pouco chamativa fachada, traz um aconchego especial ao ambiente.

E eu, que já estava prevendo uma culinária mais "picante", cheia de especiarias, saquei o meu vinho preferido para estas ocasiões: Oberhäuser Leistenberg Riesling Kabinett 2010, do produtor Dönnhoff. Acidez lá em cima, com toque de doçura para amansar os pratos com pimenta...




Do rolinho vietnamita, passando pelo salmão grelhado em crosta de gergelim e pelo inusitado robalo sobre aspargos com molho de soja negra, o apuro do chef cresce em progressão geométrica, finalizando pela sobremesa composta pelo trio de banana flambada, sorvete de coco queimado e o lindo sagu de tapioca com "cocada" de abóbora japonesa.


Robalo sobre aspargos com molho de soja negra

Trio de sobremesas

















No dia seguinte, a dica é acordar mais cedo para o desjejum (sempre diferente) e "bater perna" nas trilhas e cachoeiras, gastando as calorias e se preparando para o almoço...risos

Cachoeiras...


Depois, outra maravilhosa refeição servida por Renato e Tati...

Truta ao molho de mel, gengibre e mostarda com purê de mandioquinha

Banana em calda quente de laranja e cardamomo com sorvete de creme

Queijo Brie com mel e lascas de amêndoas
...e um vinho especial para acompanhar a sobremesa e fechar com "chave de ouro": Heimbourg Pinot Gris Selection de Grains Nobles 2005 da Domaine Zind Humbrecht, comprado há muito tempo na Expand e aguardando a hora certa...




No fim, se você optar por sair mais tarde, resta curtir o pôr do sol dando não adeus, mas um ATÉ BREVE ao Teto do Cafundó!




Nenhum comentário:

Postar um comentário