28 de abril de 2013

28 de abril

Meu niver, estreando o blog com a postagem e comentário de um dos vinhos que mais aprecio...Porto!

Este Dow's Colheita 1969 foi comprado na loja Garrafeira Nacional de Lisboa em 2011 (foi engarrafado em 2010).
Confuso?1969, colheita, engarrafado em 2010, comprado em 2011?Para quem não está acostumado,estas datas podem gerar um pouco de confusão...
Os vinhos do Porto podem ser divididos em dois estilos: Estilo Ruby- vinhos que envelhecem em garrafa e o Estilo Tawny, vinhos que tem seu envelhecimento em madeira.
Vamos lá: os Portos COLHEITA, também chamados de "Portos de Aniversário" são um tipo de vinho do Porto, que como os Tawnies, também envelhecem em cascos de madeira, estes por no mínimo 7 anos; porém, são provenientes de uma única colheita (indicada no rótulo) e vão sendo engarrafados à medida que o produtor tenha interesse em lançá-lo no mercado (esta data de ENGARRAFAMENTO é obrigatoriamente discriminada, e neste caso estava no contra- rótulo).
Ou seja, são Tawnies com indicação de idade, de um ano específico, Portos de alto padrão, lançados quase todos os anos.

A harmonização proposta para os vinhos do Porto com chocolate é interessante, porém alguns cuidados devem ser tomados para que a combinação não resulte na sobreposição de um sobre o outro e sim num casamento adequado. Como regra geral, quanto mais intenso o chocolate (mais amargo), mais jovem, intenso,encorpado e frutado deve ser o Porto (como os da categoria LBV -Late Bottled Vintage).
A compatibilização aqui no caso foi feita com um bolo de chocolate amargo 50% com recheio de creme de amêndoas. O toque de amêndoas em creme no recheio e em lascas sobre o bolo diminuiu a intensidade do amargo, fazendo um par perfeito para esta categoria de Porto, que têm como uma das características a expressão de amêndoas, nozes e frutas secas no aroma...


Notas da degustação
Visual: vinho de coloração âmbar de média intensidade, com lágrimas presentes, numerosas e muuuito vagarosas.
No aspecto olfativo, sem defeitos, complexo, com uma explosão de aromas que remetem à frutas secas, nozes, tostados, madeira bem integrada ao conjunto e uma discreta e surpreendente nota floral no retrolfato.
Na boca apresenta uma textura sedosa, acidez alta balanceada com a doçura, fazendo com que o álcool e os taninos bem integrados resultem num conjunto harmonioso. Graduação alcoólica de 20%!Final longo e prezeroso, facilmente atingindo mais de 10 segundos de persistência na boca, com desejo pelo próximo gole.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo aniversário e pelo blog.
    Gostei do seu jeito de escrever. Vou te seguir e assim aprender um pouco mais da bebida de Bacco.

    Victória

    ResponderExcluir